terça-feira, 22 de março de 2011

Dia Mundial do Teatro -Homenagem a Cacilda Becker


Arte Rose Arouck



A MORTE DO CISNE DO TEATRO
- ROSE AROUCK -


-Uma singela homenagem à Cacilda Becker que tanto nos emocionou com seu talento. -
( Cacilda Becker sofreu derrame
durante uma apresentação e morreu aos 48 anos).

O cenário estava completo.
De flores o camarim repleto
e a primadona expectante a pensar.
Seus olhos de brilho falso
estendiam-se ao cadafalso
onde seu corpo logo logo ia deitar.
As falas bem decoradas
no seu cérebro bailavam;
suas mãos destras, ligeiras,
acenavam passageiras
nervosas e ansiosas
para o espetáculo começar.
Abrem-se as cortinas de carmim
e ela resplandecente e bela
emociona mais uma vez sua platéia.
Palmas e bis ecoam no ambiente;
ela se curva até o chão bem lentamente.
seu corpo desce... desce... e cai...
-Ohhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh
Ouve-se em coro com o público já de pé.
Acendem-se as luzes;
burburinhos, cochichos, banzé.
A atriz se despediu, último ato.
Para sempre retirou-se em aparato
terminando como sempre viveu;
entre focos, em procênios, no apogeu.
Estava morta A Marilia de Dirceu;
seu corpo frio abraçado ao vazio
deixou marcas inesquecíveis em todo espaço.
Morre de derrame a Grande Dama do teatro.



"A morte emendou a gramática / Morreram Cacilda Becker / Não eram uma só.
Eram tantas..." Assim se manifestou o poeta Carlos Drummond de Andrade,
por ocasião do falecimento dessa atriz,
considerada uma das personalidades mais importantes da classe teatral brasileira
e defensora da categoria na fase do regime militar de 1964.

5 comentários:

Janaina Cruz disse...

Amei encontrar o blog: O clube dos poetas, cheio de cultura, beleza e poesia...

Janaina Cruz disse...

Sigo o blog com muito prazer!!! :)

Janaina Cruz disse...

Sigo o blog com prazer! :)

Marise Ribeiro disse...

Parabéns à Rose Arouck pelo maravilhoso texto!
Beijos,
Marise

Anônimo disse...

Que show Rose!!!!! Maravilha de homenagem!! beijus Anna Peralva