10 de fev de 2015

TODO DIA É CARNAVAL-Rose Arouck





TODO  DIA  É  CARNAVAL

( ROSE AROUCK )




Deixe seu pandeiro de brinquedo,
Venha sorrir sem medo,
Venha se divertir...
Esse carnaval é sem tristeza;
falta comida na mesa?
È pra pagar?... chore de rir!
Somos filhos da fruta
Sabemos a frase de cór,
para que se amofinar?
Mesmo o coração sangrando,
A mão na rua acenando,
   deve continuar.
Não se importe com a idade,
Somos livres da vaidade
Temos mesmo que enganar.
Nesse bloco,
 hoje vou de parceria
com a vã filosofia
Que assegura o meu viver.
Nesse ritmo, rugido na batucada,
Vemos a crise raiada
carecendo combater...
 Todo dia, vibra em nós essa alegria,
Marretando em pleno dia,
Consagrando esse final...
coloque seu bloco nas ruas
fantasie as falcatruas,
 no Brasil é carnaval.

7 de fev de 2015

ENREDO DA SOLIDÃO - ANNA PERALVA


ENREDO DA SOLIDÃO
Anna Peralva


Outra vez é carnaval...
Na avenida colorida
som preenche grande vazio.
Povo alucina!
Entra junto na passarela
e transforma em cores
vivas sua sina...

Horas correm em poesia,
há um que de real
no imaginário do sonhar...
O verso enredo é pura energia,
tempo se movimenta feliz
nos fulgor fugaz das fantasias...

Num grande chão de giz
a paz faz sua coreografia.
A nostalgia do ontem passou...
Hoje sou o tema do enredo,
a bela musa da bateria!
Sou o que preciso ser... Não o que sou!
Sambo sem dor, canto o amor!
Danço felicidade e flutuo em sonhos,
que ousei sonhar um dia...

Hoje quero distância da razão,
cristalizo lágrimas d' alma
e sou corpo em movimentos
livres, aqui não vejo solidão!
Nesses três dias de estesia
desfilo desnuda de tudo!
Sei bem, que quando a festa acabar,
voltarei ao complexo labirinto da vida.
Num silêncio ensurdecedor serei verso mudo!



Trabalho de arte: Augusta Burigo