26 de fev de 2010


Tenho urgência...
Ciducha


Tenho urgência
das tuas maõs em mim,
do teu olhar,
me pedindo para ficar.

Urgência dos teus beijos,
da tua risada,
da tua emoção
do amor que te faz grande
no meu coração!

Tenho urgência dos teus olhos,
dos abraços
dos teus mimos silentes
que são elos da minha corrente,
por onde jorra emoção e prazer.

Tenho urgência...

Meu imenso amor...
urgência do teu calor!
Vem...


25 de fev de 2010



Caminho entre as flores, lembro meus amores

Caminho entre as flores, busco meus amores
não sei onde os perdi ...
Tão poucos, algns loucos, trouxeram-me dores
assim os esqueci ...
Caminho entre as flores, sinto seus odores
misturo-me entre as cores, sinto-me uma flor ...
O meu olhar distante, me faz por um instante
ainda lembrar de ti ...
Quem sabe onde andas, também por um instante
ainda pense em mim ...

*** Labirintos da Alma ***
Cel (Cecília Carvalho)

Letras 0782 -
Tristeza
by-Caio Lucas


Triste, é quando tudo fica impossível,
no céu aparece um buraco negro,
o vento perde sua velocidade,
o alvo revolto, ataca a flecha,
o invisível marca e machuca a alma.


Triste, é quando sentimos o fim,
um sim não passa da boca,
os sonhos voam da memória,
o dia passa como se fosse raio
e a noite parece que não vai acabar.


Triste, é quando meu corpo não cabe no mar,
a alma se afoga em um copo de vinho,
fazendo labaredas de fogo corpo afora,
ligando fios e desvios do pensamento,
nos levando além do medo e da morte.


Triste, é amor que mata e que morre,
medo são pesadelos do pensamento,
círculos que queimam e se apagam,
como beijos que derretem nos lábios
e o sonho que acaba sem lembrança.


09/09/2009

A inocência do amor.
Arneyde Tessarolo Marcheschi

Como flecha de cupido
quero vazar seu peito e cravar-me
em seu coração,
entrando em seu corpo
desvendando os limites dos
seus mais profundos mistérios.
Quero ser dona de seus pensamentos
nos momentos mais lúdicos,
nos mais seguros e inseguros,
transformando-os em puros sentimentos
e nas noites escuras
ensinar-lhe a arte do amor.
Um amor profundo,sincero
sem limites,sem barreiras,
cheio de quimeras,
na esperança de um transparente
e florido amanhecer.
Deixa-me ensina-lo a ser feliz!
Venha para perto de mim,
adentre meu coração, e encontrará
uma doce quietude, e todo o
amor e paixão que tenho para ainda lhe dar.

Vitória.E.Santo 28/07/2008

24 de fev de 2010



MEU POETA
Anna Peralva

Meu poeta não escreve poesias,
nem tem poemas luzindo no olhar
pois traz n'alma, um mar de agonias.

Meu poeta perdeu sua inspiração
nas noites ébrias da boemia
e por lá abandonou sonhos e emoção...

Ah meu poeta! Que triste sina a sua!
Descrente de tudo, pela vida meu poeta vaga!

13/05/2009

20 de fev de 2010



Carta aberta à Lilia Machado!

Minha amiga, que anda ausente,
com o que sonha?
Onde estão os seus sentidos
a sua emoção tão tangível?
Recolheu-se para dentro de si
para não ver, não ouvir,
não sentir sua dor!
Ah, minha amiga!
Seus olhos fechados
sua alma tão dentro,
tão leve
que parece que voa!...
Livre de ânsias
desprende as âncoras...
Flutua...
Talvez ainda estar,
seja apenas,
uma forma de se despedir.
Talvez, somente a dor que não deseja causar
ainda a prenda aqui.
Ah, minha querida amiga!
Cabem tantas palavras aqui dentro,
que transbordam do simples "amor fraterno"
um resumo muito suscinto
para dizer do respeito, acato e
sincero carinho, que me liga a você, Lili!
À você, que sem conhecer, conheci!

Meu coração é uma concha, hoje, amiga!
Uma concha,
um colo de embalo e acalanto,
de aconchego e desejo de
proteção à sua alma
que tem se feito tão ausente,
mas para sempre ficará aqui!
Ficará aqui dentro.
Deus a ampare, Lili!

Eme Paiva





Resposta Carta aberta para Lilia Machado


Minha doce Lili, ainda vejo teu olhar de alegria
quando em tua casa vibravam acordes de violão,
sons de canções e o cântico da poesia...
E aquele ar de menina dançava em teu rosto,
pura alquimia...
Hoje, em lembranças dormes...

Com o que sonhas, minha poeta?
Com a viagem de ida ou de volta?
Hoje meu coração se aperta,
o riso em mim não nasceu
e a lágrima se solta...

Será que cumpristes tuas metas
ou desaguas em silêncio tua dor
não deixando sofrer os teus?

Ainda espero que acordes!
Algo em mim diz que assim será,
que tu'alma busca a cura
nas terras mansas do Senhor.
Que trará alivio para o corpo
e assim, ficas em estado de espera...

És guerreira que não abandona a luta,
ainda quero ver aquele sorriso escancarado
que me encantou desde que a vi, pela primeira vez.
Palavras não traduzem o que sinto agora,
queria ser anjo, entrar em ti, e dizer baixinho:
acende a luz Lili! Volte para o teu ninho...

Anna Peralva




UM POEMA


Daqui a pouco
Já não sou mais...
Fui-me!


Ficam saudades
Que daqui a pouco
já não são mais...
Foram-se quase todas!


E quem há de ficar a chorar
Pelos dias afora
Quando uma saudade restar?


Qual peito vai ficar apertado
A soluçar saudade
Que quase já não é?


Só um resquício ficará na lembrança...


Lilia Machado


Hoje eu queria...


queria escrever-te um poema,
mas foge-me o tema.
Emudece a alegria,
Virou noite o meu dia.
A tristeza invade meu coração.
Não há magia,
cala-se a emoção,
hoje o tema é vazio,
silencia a poesia.


Marilda Conceição
RJ, março/2008

Dedicado a querida amiga
Lilia Machado

10 de fev de 2010

CARNAVAL
Luiza Porto

Hoje me expus,
sem enfeite nenhum
Soltei as amarras,
cai na farra.

Pintei a cara,
vesti minha melhor fantasia.
Sandálias de prata nos pés.
Sambei...Sambei

Mas é carnaval,
a avenida é só minha.
Só paro na quarta-feira de cinzas.
Ai tiro minha mascara.

Sinto o cansaço,
mas enquanto isso.
Sou sambista, sou artista.
Na passarela da vida

9 de fev de 2010



"É CARNAVAL"
Lilia Machado

É carnaval!
Vem saudade,
Me acompanha...
Traga a máscara
E canta o samba
Pra enganar a solidão.

E nos trejeitos do teu corpo
Vou delirar recordações!

E na folia do meu peito
Vou divagar emoções!
Porque é carnaval
E tudo vira normal.

É carnaval!
E a saudade me acompanha mascarada
Disfarçada em Pierrô
Atrás da colombina
Que não quer mais saber de amor
Porque é carnaval
E tudo vira normal.