13 de mai de 2015

RAÇA NEGRA - ZzCouto



RAÇA NEGRA!
ZzCouto


Distantes mãos visíveis
em carta de alforria,
feliz ou imanente,
eterna e permanente...
Linhas retorcidas
 em rumos traçados,
vertendo versos de
agonia...
Lenta caminhada
coroada de suspiros,
passando sem identidade
por você, por mim
e por ninguém...
Outrora escravo,
 hoje libertos,
raça, músculos,
pó da vida e sal da terra...
Cresceu e multiplicou-se
dando vida a outras vidas.
Aqui afundou raízes,
onde gemem seus
ancestrais, com raça
e bravura.

RJ. Maio/15

Arte Jô Abreu


LBERDADE - Rita Rocha


Liberdade
      Rita Rocha

      Tiveste a vida leiloada
      como simples mercadoria,
      mesmo com a alma lavada
      das manchas, sem alforria.

      No tronco foste açoitado
      não subjugando aos desmandos,
      foste bastante humilhado
      e aos trabalhos forçados...

      Conseguiste bravamente
      nos quilombos a liberdade
      pra viver condignamente
      tinhas muita habilidade.

      Das agruras dos tormentos
      que um dia chegou ao fim,
      e por estes bons momentos
      hoje és tão igual a mim...

      Livre? Livres sim!
      Com direitos  preservados
      Todos iguais? Será assim?
      Pátria brasileira!
       Brasileira é Minha Pátria!
      Não demarques as fronteiras
      desta gente verdadeira!

      Santo Antônio de Pádua, 13/05/2015


Poesia e arte Rita Rocha

A COR NEGRA - Rose Arouck



A Negra Cor...
Rose Arouck

 
A negra cor
reluz ao luar...
E o açoite do fraco
pulsando em contraste
faz  o suór sangrar,
Forçando essa linda  raça subjugar.
 
O rubro do negro contorce-se
  valendo-se de seu Orixá...
E o couro molhado, misturado,
com o couro do tambor,
ruge a clemência
em ritmo de potência,
silenciando a cruel dor.
 
É o homem escravo do homem
que desconhece o seu valor.
Lembrando isso, com gana, ainda
 mais ruge o tambor
pra calar aquela dor.
 
Veio o sol da liberdade tardia
que trouxe uma pobre alforria
Soltando e deixando o relento repor.
Veio o sol que fez arder
a ferida que não quer parar de doer...
Dói até hoje no homem de cor. 


Poesia e arte Rose Arouck

7 de mai de 2015

DIA DAS MÃES

                                                  


Ser Mãe
de Rose Arouck
 
 
Ser mãe
é ser corajosa,
resplandecer como a rosa
e rugir como um leão,
na hora de defender com proteção.
 
É cuidar do filho com desvelo,
educar pra não  ver padecê-lo
no Mundo de ingratidão.
 
Ser Mãe,
é chorar escondido suas dores de tristeza,
e sorrir sempre mostrando fortaleza,
unindo força  ao seu redor pra o que vier.
 
Ser Mãe
é dar todo exemplo
de como seguir perfeito
e fazer de um  menino um homem direito
da menina uma verdadeira mulher...
 
Ser Mãe
é acompanhar o caminho por seu rebento trilhado
e mesmo não estando mais ao seu lado
rogar por ele em oração...
 
É tudo isso e mais, muito mais!
Ser Mãe é transmitir a paz
e agasalhar os filhos com amor no coração.



À MÃE DE TODAS AS MÃES

Maria Luiza Bonini
 
 
A ti,  meu louvor, minha súplica e  minha prece
Neste dia, em que a todas as mães é dedicado
Para que, em ti, venham a encontrar alicerces
Na divina missão que em teu amor foi inspirado
A ti, meu louvor, minha súplica e minha prece
Mãe de todas as mães, da pureza sem pecado
Que, sob teu divino manto, recebam a benesse
Filhas mães e seus inocentes filhos abandonados


A ti, meu louvor, minha súplica e minha prece
Às insensíveis mães que rejeitam o dever sagrado
De acolherem em seu seio o filho por elas indesejado


A ti, meu louvor, minha súplica e minha prece
Às mães que se dedicam ao dever uno e supremo
Na experiência do amor-mór, incondicionalmente eterno




MÃE
Ariovaldo Cavarzan

 
Se fosse estrela,
seria brilho, luz, resplendor,
enfeite de amor.
 
Se fosse flor,
seria charme, estilo, elegância, 
cor e fragrância.
 
Se fosse emoção,
seria afeto, carinho, ternura,
alma pura.
 
Se fosse anjo,
seria simplesmente
Mãe.
 



MÃE DOÇURA E TERNURA

Marcial Salaverry
 


Mãe, inesquecível figura,
toda feita de ternura,
amor, carinho e doçura...
Desde o primeiro passo,
ensinou-me o certo compasso,
e agora, meu carinho lhe passo...
E neste Dia das Mães,
peço que abra os braços,
para me dar e receber gostosos abraços...
Obrigado mãezinha por ter me dado a vida...



MÃE É...
Clara da Costa


Mãe é...
o ventre que acolheu,
o abraço que aconchegou,
o peito que alimentou...

Mãe é...
a que ampara nos primeiros passos,
que sorri nas peraltices,
que beija para um sono acolhedor...

Mãe é...
a que socorre nos momentos difíceis,
a que dialoga e acalma,
a que entende pelo olhar...

Mãe é...
amor
ternura
compreensão
discernimento
força
renúncia...




MÃE

Cibele Carvalho
 
 

Mãe
 
que sempre nos auxilia,

dando-nos, a cada dia,

sua palavra experiente.


Mãe

que acolhe,sem demora,

seu filho a qualquer hora,

e não há tempo inclemente.


Mãe

que nos estende a mão

em momentos de aflição

e luta à nossa frente.


Mãe

uma criatura divina

que faz-se de pequenina

para ser mãe, somente...





MÃES

JRonaldo-JR



Hoje comemora-se o seu dia
 Mãe não existe um dia, e pura sincronia
Mãe é muito além
Vai muito aquém


Mãe é terra que produz
É luz que conduz
É pura emoção
Vai além da compreensão


É a que faz a união
É a que mantém uma nação
É o equilibrio sem igual
É o tempero Universal


Está acima do bem e do mal
Ela coloca com esmêro o sal
Nessa esfera
Não seria o sal da terra?


Parabéns MÃES de corpo presente
MÃES aqui ausentes
Que deixaram suas sementes
Com todo amor em nossas mentes


Minha Mãezinha querida
Me deste muito mais que uma vida
Ensinou me o caminho
Hoje... sei onde é o ninho!!!
 


O MEU ETERNO
AGRADECIMENTO




MÃEZINHA


Mãezinha...
 Hoje continua sendo o teu dia .
Não posso te beijar, abraçar como antigamente,
Nem telefonar e te contar as novidades...
Em meu coração estarás sempre presente
Com lembranças me encantando de saudades.
 
Eliana 




VIDA QUE BROTA...

Anna Peralva



Preparei a terra para o cio.
Limpei-a do desamor e da descrença,
decepei o egoísmo e a vaidade.
Procurei a semente compatível
e entreguei-me de coração aberto.
Confiei na fase da fecundação...
Desfolhei o bem-me-quer,
desfiz as dúvidas e os medos.
Fui pura magia de amor e renúncia.
Semeei sonhos e ilusões,
 cuidei para que tudo desse certo.
A espera era ansiosa,
porém cheia de esperança
pelo florescer de um pedacinho meu...
Abneguei das curvas do meu corpo
para que nele se aconchegassem
e crescessem.
Revesti meus dias de fé,
iluminei essa mágica estação,
esperei...
Afaguei o ventre,
aguardando com alegria
o tempo de colher
a vida que em mim brotava.

************* 

Tudo pela vida!

( Aos meus filhos Paulo Henrique e Ana Paula)




Ser Mãe
 
Marilda Conceição
 
 
Ser mãe, é amar sem fronteiras,
sem limite, é doar-se por inteiro...
é educar, ensinar a arte de amar e respeitar,
para com dignidade na vida caminhar.
 
 
Ser mãe, é bênção divina,
carinho, doçura, esplendor,
o mais puro, intenso e sublime amor
que Deus criou.
 

 

O FILHO DE SUA MÃE

Jorge Humberto



Nasceste menina, em tempos de dificuldade,
segunda filha, a que depois se juntaram mais quatro,
seis meninas, todas elas mães, por afinidade,
e tu, que és a minha, de feição, foi-te o parto.

Na pressa de crescer, por pura necessidade,
fizeste-te mulher, antes de o ser: fiel retrato
de um Portugal, que nem tinha tempo nem idade
para ver suas crianças crescer: real desiderato.

E, hoje, que se cumpre, mais um dia, desse alguém,
jamais esqueço, a imensíssima mulher,
que sempre foste pra mim: aqui, ali e inda mais além:

gritando pelo meu nome, que te soava tão bem,
e que por ti fora escolhido, como tudo o que bem quer:
aquela, a mulher – e inteiramente, Mãe.

03/05/15




AS TANTAS MÃES DO FILHO QUE NÃO TENS

Luiz Poeta


Luiz Gilberto de Barros – às 22 h e 30 min do dia 28 de abril de 2015 do Rio de Janeiro, Marechal Hermes,
especialmente para o coração de mãe da minha amada maninha Denise Moura.


"O filho biológico você ama porque é seu. O filho adotivo é seu porque você ama."
(Luiz Schettini Filho)



Tem tantas mães o filho que não tens...
Algumas que... apenas... geram... filhos...
Que tornam-se do mundo, só reféns,
Como se fossem trens... fora dos trilhos.

E outras, que depois de os expulsarem
Do aconchego...vão... onde nasceram,
Colocam-nos no lixo que encontrarem,
...sem nem querer saber se eles morreram.

Algumas mães são mães sem sobrenome
São filhas de outra mãe... não têm nem pai !
E os filhos que elas têm... têm tanta fome,
Que comem qualquer sobra do que cai.

Porém mães de verdade se alimentam
Do amor e da bondade que elas dão
Ao ser que os sentimentos amamentam,
Quando o alimento vem do coração.

O filho abençoado que tu queres
E que a sociedade rejeitou,
Pertence a todo tipo de mulheres
Que o mundo marginal sempre criou.

És mãe por natureza... és mulher
E  sentes, entretanto essa dor
De quem perdeu o filho que mais quer:
Quando tudo o que quer é dar amor.

Assim, não lutes contra o teu destino...
Preserva tua lírica esperança
De ver no doce  olhar de um pequenino,
Teus olhos cristalinos de criança.

Luiz Poeta



Conversando com minha MÃE

Adelia Mateus


 
Mãezinha !
De onde a senhora está, sei que
sabe a saudade que sinto.
Como é difícil o meu viver sem a
sua presença.
 
Vivo das lembranças do passado...
Mulher batalhadora que soube
me mostrar os caminhos da vida.
 
Tudo que sou hoje agradeço o esforço
e sacrifício que fizeste por mim.
Mas o que eu queria mesmo, é
ter a senhora ao meu lado.
 
Sei que papai do céu a queria ao lado dele.
E eu fico aqui chorando, sentindo sua falta.
Os anos passam mas a saudade continua a mesma.
 
O vazio que sinto é imenso.
O que me conforta é saber que quando
chegar a minha hora ficarei ao seu lado.
 
Beijos eternos de sua filha.



Mainha Querida

Augusta Burigo



Esta é minha mainha querida.
Sim sim, hoje ela é outra. Não vou dizer que ela está mais linda porque é uma mentira bem grande.
Mainha está bem enrugadinha.
Mas olho pra ela e me da uma vontade de chorar. Ela está tão velhinha. Já está com 89 anos, gente.Hoje ela  vaialmoçar comigo.Estou aqui escrevendo e uma peste de uma lágrima escorre pelo meu rosto. Disfarçadamente olho pra TV ,pra meu maridinho não me ver debulhando. Seco tb disfarçadamente esta peste de  lágrima. As vezes me acho parecida com ela.Outras vezes ,acho que não  sou  sua filha.É que estou sempre aprontando,tá? Muito ela cuidou das quatro filhas mulheres, bah! Pra gente casar purinha ,por exemplo,tá? Sim, foi uma torturta,mas casei purinha.
Mainha sempre foi uma pessoa meio envergonhadinha,tá? Estudou  no colégio Coração de Jesus na capital,Florianópolis.
Casou com painho e veio pra cidade que hoje moro.
Sempre muito econômica  , botava as quatro filhas nas tarefas da casa. Fui muito bem educada. Antes de brincar , tinha  tb a tarefa de bordar. Só brincava  depois que mostrasse a tarefa do bordado. Quantas vezes enganei mainha pra brincar! Bah! 
A gente só entrava na casa pra almoçar ,jantar e dormir. Sempre estávamos na rua ,ao redor da casa brincando de amarelinha, boneca ou trepada nas árvores comendo goiaba,pera  e outras frutas. Estava sempre trepando................em árvores.Antes de casar ,ela me botou uma semana na cozinha.Que raiva eu fiquei! Ela queria que eu cortasse a cenoura assim meio enviezada. Pois hoje só corto enviezada e realmente fica mais lindinha mesmo,né? Como fui morar na capital assim que casei, ela preparou um caderninho de receitas. Meu caderninho ficou pior que o avental sujo de ovo, da Ângela Maria.
Todos os dias TODOS, ligo pra mainha .Ligo pra saber se passou bem a noite, se está bem .Dou meu bom dia e vamos  pra lida dos servicinhos da casa.
Mas sempre que telefono pra ela, a faço dar gargalhadas . Hoje quando ela atendeu o telefone , eu já estava cantando e remendando a linda música da Ângela Maria.Mas eu ia cantando e fazendo mainha rir muito, dizendo:
 
 
Ela é a dona de tudo                          ( Não és mais mainha, já repartiste toda tua herança. E ríamos)
                Ela é a rainha do lar                                         (Somos , né 
)
Ela vale mais para mim
Que o céu, que a terra, que o mar ( Mainha, vales ,mas não tanto assim,tá?)

Ela é a palavra mais linda
Que um dia o poeta escreveu

Ela é o tesouro que o pobre
Das mãos do Senhor recebeu

Mamãe, mamãe, mamãe
Tu és a razão dos meus dias
Tu és feita de amor e de esperança
Ai, ai, ai, mamãe    (aqui ela cantou junto e perguntei, tás com alguma dor mainha?)                   
Eu cresci, o caminho perdi
Volto a ti e me sinto criança

Mamãe, mamãe, mamãe
Eu te lembro o chinelo na mão 
(Ah como lembro, apanhei um bocado!)
         Cachorra!
O avental todo sujo de ovo  (Por acaso eras doceira ,mainha?)
Se eu pudesse
Eu queria, outra vez, mamãe
Começar tudo, tudo de novo

Ela é a dona de tudo
Ela é a rainha do lar
Ela vale mais para mim
Que o céu, que a terra, que o mar

Ela é a palavra mais linda
Que um dia o poeta escreveu
Ela é o tesouro que o pobre
Das mãos do Senhor recebeu

Mamãe, mamãe, mamãe
Tu és a razão dos meus dias
Tu és feita de amor e de esperança
Ai, ai, ai, mamãe
Eu cresci, o caminho perdi
Volto a ti e me sinto criança

Mamãe, mamãe, mamãe
Eu te lembro o chinelo na mão
O avental todo sujo de ovo
Se eu pudesse
Eu queria, outra vez, mamãe
Começar tudo, tudo de novo





O Clube de Poetas deseja a todas as mães, um feliz dia das Mães e, que recebam sempre, de seus filhos,  carinho, alegrias e muito amor.