18 de mai de 2013

NOSSOS POETAS DE L a N




Dança do Amor
Lucia Trigueiro 
                                

Quero uma composição de orquestra em 
forma de sonata... caráter amoroso 
qualidade... verdadeira melodia 
seqüência de notas por meios de palavras
assediada....sem malícia
Produzindo sons... terno... meigo 
agradáveis aos tímpanos 
sintonia de pensamento 
quero agir... sentir
essa identificação sendo
a mais importante de uma companhia
chamada balé clássico da sedução.
Eu.... Bailarina
Deslocando-se... movimentando o corpo 
de maneira graciosa... ritmada.... 
dançando... várias direções
em curvas... provocando no teu corpo 
uma elevação feito um feixe de luz 
nessa sinfonia em teu braços.
Você...
Encantado com minha sensualidade
beleza....extrema delicadeza
lenta... macia.... 
suavidade feito teoria da sutileza 
proporcionando tua felicidade 
obtida pela estimulação da volúpia 
desse desejo.
Nós...
Incitamos determinada
influência na eficácia desse amor. 



SEM AUTORIA 

Luiz Poeta
Luiz Gilberto de Barros – 
às 21 h e 39 min do dia 18 de julho de 2012 do Rio de Janeiro – Marechal Hermes 


Eu abro um PPS, embevecido;
Devoro seu sublime conteúdo;
E fico impressionado e comovido
Com ideia, a inspiração, enfim... com tudo.

As cores, as imagens, a moldura,
A música, o som... o movimento...
Alguém como eu sentiu toda a ternura
Que um coração criou com sentimento.

Que êxtase me dou... que alegria
Ao ler um pedacinho do escritor
Que soube transformar em poesia
O enlevo de um momento sedutor.

Porém, quando termino, emocionado,
Querendo retornar ao que já li... 
Perplexo, percebo, desolado,
Que o nome do autor não está ali !
  
O texto é muito lindo, alguém pondera
Por isso não há como ignorá-lo...
Discordo ! ...é como expor a presa à fera
E logo um predador  irá furtá-lo !
  
Por mais que um designer se deleite
Com cada conteúdo impressionante
E envolva-o  com seu sublime enfeite,
Vestindo em filigrana, um diamante,
  
O texto sem autor perde o glamour
E todo o conteúdo que seduz,
Transforma-se num trôpego abajour
Que enfeita um velho armário... sem a luz.
  
Alguém me pede, ainda, em negrito,
Que eu repasse a obra sem autor,
Supondo que um texto tão bonito
Terá, ao se espalhar, bem mais valor.
  
Porém eu não repasso, nem copio,
Nem ponho num arquivo predileto,
Pois sem autor, um texto é tão vazio,
Que eu, infelizmente, o deleto.
  
Alguém o copiou... quem terá sido ?
Constato, consternado, infelizmente,
Que os sonhos de um  autor... desconhecido...
Perderam-se da alma... impunemente.
  
Limito-me a agir com consciência
E aguardo – esperançoso -  que algum dia,
Que cada um de nós, com coerência
Não mais repasse autor sem autoria



BAÚ DE SONHOS
Luiza Porto


Revendo o velho baú, sonhos guardados
livros de menina, fadas, bruxas, princesas e cavaleiros.
Fotos antigas em sépia, passeios memoráveis,
praia, casamento dos meus pais, meus avós,
e alguns familiares quem nem cheguei a conhecer.

Encontrei algumas flores secas, sem datas, sem nada
mas que devem ter sido importantes em algum momento.
Cartas que não reli, já passou, não faz sentido remexer,
em velhos amores, despedidas, paixão envelhecida, de
um tempo que não volta mais.

Remexi, revivi e em total desapego, resolvi guardar apenas
as fotos, que fazem parte do que sou, o resto
é apenas passagens de uma vida, que não tem retorno.
Prossigo a viagem, com uma bagagem muito mais leve.



Tanto Amor
LuliCoutinho


O meu amor escondido
Sonho guardado comigo
Hoje um infinito segredo
Onde teço o nosso enredo.

Sinto-o em plena verdade
Com toda minha ansiedade
Que por esse nosso instante
Não o percebo tão distante.

Em noites abertas em luares
Fluídas de clorofila nos ares
Chegas a mim num repente
Saudoso do amor e contente.

No momento que estás ausente
Traço versos de amor dolentes
Vou ao aconchego do teu colo
Tanto amor é o meu consolo!



ESTRELAS AO LUAR
Marcial Salaverry

Em noites enluaradas,
inspirando almas apaixonadas,
até o brilho das estrelas é maior...
Noites quentes de luar,
incitam-nos a mais amar,
é uma lição que sabemos de cór...
Inspiração para os apaixonados,
deixando-os mais enamorados,
o luar acende os corações,
despertando doces emoções...
Em noites estreladas,
as almas apaixonadas,
ficam as estrelas a contar...
Uma gostosa maneira de amar...
Ora direis, contar estrelas...
Parafraseando Bilac que as ouvia,
contá-las, para melhor o amor viver,
contá-las para melhor as saber,
Contá-las,  observá-las,
ao lado da pessoa que amamos,
ou então, se perto não estamos,
pensando em sua imagem querida,
numa maneira dela ser sentida...



DAQUELA PORTA
Maria Luiza Bonini


Daquela porta vislumbrei teu mundo
Era tão distante que tocava o horizonte
Postei-me serena e com olhar profundo
Passei a entender além dos montes

Daquela porta senti uma suave brisa
Tocava meu rosto em suave carícia
Tentava me dizer do amor, tal profetisa
Sem pudor e com um toque de malícia

Daquela porta surgiu o inesperado
Aquele amor, por mim tão desejado
Postou-se à minha frente tal presente divino

Daquela porta ouvi uma voz suave
A me dizer como o chilrear de uma ave
Acolha-me em ti,  sou teu amor menino

São Paulo/Brasil



AMOR-PERFEITO
MARIA LUCIA VICTOR


Cavo o dia com as mãos,
encontro nuvens esparças,
brancas e soltas fumaças,
flocos de doce ilusão.
Banha o sol a esperança,
que cada vez mais distante
se desfaz no horizonte
das dobras do coração.
Alcanço o ar rarefeito,
onde cresce amor-perfeito,
flor de beleza tão rara
que só existe nos céus
da minha imaginação.

Londrina, 15 de julho de 2004



Amor
Maria Tomasia


Belo sentimento
combustível e alimento
que rege o mundo
trazendo  emoção.

Amor,
instalado no coração
produz compreensão
se sentimento sincero
é o que todos querem.

Amor,
que provoca dor.
Lindo como uma flor.
Quem ama sabe viver.

Amor,
Faz bem à nossa vida
é mágico e fortalece
também,  nos consolida.


Quem sente amor
vê a vida com mais cor!



Delira a Poesia
Marilda Conceição
(Ternura)


O que sabes de poesia?
Sabes do amor poeta,
confessas sentimentos ao papel
desenhas versos com sensibilidade e magia.

E do amor que cala
nas profundezas do teu ser
inebriando tua alma de inspiração,
delira a poesia num grito de emoção!



FERIDA NO MEU PEITO
Nanci aurino

                                                   
Uma ferida abriu-se no meu peito
Não há meios de cicatrizá-la
É a dor da perda que insiste
Meu coração maltratar

Dizer adeus a quem se ama
Na dura perda para a morte
Faz verter lágrimas de saudades

E a vida vai ensinando...
Aprendo a cada momento
Superar amarga dor 
E pela vida ter amor!



Viagem pra dentro de mim ...
Nídia Vargas Potsch


A cada instante
em que amortecida estou
as mágoas pingam 
pra fora de mim 
salgadas águas, atormentadas
pelo pensar ausente,
presente a me torturar
com perguntas
que não sei
como responder ...
Talvez se unisse as mãos
a outras tantas
ou mesmo só,
adentrasse no âmago
dos questionamentos
que não me soltam e estão à espreita 
chegasse a um consenso ...
Cada momento é único, 
cada esperança é derrubada,
ruindo como cera
de vela derretida...
Se tempo e espaço 
se unissem num só corpo
e a dualidade desaparecesse 
talvez assim pudesse
perceber o que restou ... se é que restou ... 
definitivamente, 
estou diante de uma infinidade
de sonhos desmoronados,
bem capazes de desestruturar
qualquer criatura ...
ou obrigá-la a renascer ... sem pejo.
É o que pretendo!

@Mensageir@
Rio, 20/11/2009


Trabalho de Arte: Marilda Ternura


Nenhum comentário: