29 de nov de 2017

Parabéns Clube de Poetas-Anna Peralva

Clube de Poetas
28/11/2006-28/11/2017

O tempo em sua passagem é uma roda viva de lembranças... Como esquecer o início de tudo ou o meio até chegarmos ao hoje, que no meu caso já é ontem? Nesta travessia histórias bonitas de se lembrar, outras a saudade ponteia no peito, mas o que deixou recordação tatuada no coração é belo, pois cada lágrima de felicidade ou tristeza foi uma forma do amor criar laços... Semente germinou em solo fértil e floresceu, mesmo não sendo primavera! Vocês, (poetas e formatadores) são a semente que mantém o Clube de Poetas como um canteiro florido em qualquer estação do ano, pois a amizade une seres que sorvem o néctar da estesia e é ela que nos mantém interligados como nó do tronco da poesia! O poeta é um sonhador, um pescador de ilusões que consegue decifrar o que muitos consideram enigmas... A você que desnuda a alma, que revela sentimentos em forma de versos agradeço a convivência, o aprendizado, pois é assim que o grupo resiste e persiste revestido de inspiração e esperança.
Platão disse:- "Todo homem é poeta quando está apaixonado.", mas eu acho que é a
 sensibilidade que o torna poeta! Ou como a Eme Paiva disse; - Ser poeta é, acima de tudo, ser fraternal...A vida é bela e tem suas fases boas e outras nem tanto, por isso poetar é preciso!
A vocês meu carinho e respeito, Marilda e Eliana obrigada pela parceria!
Parabéns Clube, parabéns poetas do Clube de Poetas!
Anna Peralva
****
...UM TRIZ!
Eme Paiva


Desse-me a vida um espaço
entre as dimensões...
uma entrada...
um portal...
por onde eu escapasse...
Onde pudesse transpor...
e por instantes planasse,
leve
como qualquer ave...
luz
como qualquer estrela...
a refletir de mim,
o amor que ainda não amei,
aquele amor que entregarei,
ao poeta que ainda não me viu
nem me chamou pelo nome que já adorei...
senha que me ocultará
do que hoje ainda é triste,
frio e acre!...

Ah! desse-me a vida,
um átimo...
um breve...
um fio...
um triz!...
para que eu atravessasse
paredes dimensionais e
planando divisasse no infinito
aquele alguém a quem entoarei
o salmo de minha ternura,
em compasso feliz!

Nenhum comentário: