26 de fev de 2011


CARNAVAL NO CLUBE DE POETAS NA LINDA ARTE DE
TEREZA DA PRAIA




CARNAVAL
CIDA VALADARES


O bloco, o agito, a dança, a alegria...
Máscaras escondem os temores,
Muda-se o passo e a dança a todos contagia.
Braços abertos, gritos, terapia da fantasia!


Festeja-se a festa por três dias.
Como se... Nunca mais! Fosse o destino da alegoria.
Como se... Para sempre! Enlutasse o mundo e viver
fosse o destino das orgias.


E, aos poucos, como se o mundo se unisse.
Braços dados, cinturas tocadas, corpos suados,
beijos trocados, beijos roubados.
Rompem-se às madrugadas...
As manhãs chegam encabuladas!


E, quando por fim, se encerra esta comemoração.
E o querer viver do passado se distancia...
Percebe-se, então... a dor, a nostalgia...
E que, muitos amores...
tatuados ficaram no coração...
Em formas de diversas Fantasias!





SONHO DE CARNAVAL
Anna Peralva


Apenas pintei meu rosto
rasguei num outro carnaval
minha fantasia de colombina.
Um pierrô levou meu coração
e chorei lágrimas de desgosto...


Nesses três dias de empolgação
desaguo minha mágoa na passarela,
vivo o ritmo, entro no compasso do samba
vestida de mim, solitária, pés no chão!


Quando enfim, a quarta de cinzas chegar
quero meu corpo dolorido, cansado...
Deixar na poeira do tempo tal sonho,
que o ano inteiro fiquei a esperar...


Preciso entender que toda história tem seu final,
que amor de carnaval é um sentimento banal!





Confetes, Serpentinas e... Ilusão
Marise Ribeiro


Tantos rostos juraram amores,
Atrás de máscaras escondidos...
Ilusão de confetes sem cores
Nos olhares solitários e doídos.


Tantos beijos no baile roubados,
Orvalhos de um efêmero carnaval...
Desejos arfantes em corpos suados,
Promessas eternas seguindo um ritual.


Tantas quartas-feiras em cinzas passei,
Contemplando a máscara da negação...
Que segredos ela escondeu?... Não sei!
Apenas... que fantasiou meu coração.





Fantasia de carnaval
by-Caio Lucas


Estou a caminho do meu carnaval,
sem convite e sem fantasia,
vou sem parar e nem olhar pra trás,
fui de outras colombinas que não foram minhas,
sou pedaço de paixão que termina ao amanhecer,
quero apenas ficar com você até a noite acabar.


Põe de volta a fantasia de amante,
preciso olhar nos seus olhos,
deixe que sua luz ilumine o salão,
vou te levar para outros carnavais,
só preciso de um beijo como recompensa,
não, não tire sua máscara agora,
talvez depois, quando amanhecer.


Vem ficar comigo mais uma noite,
espero que nossa paixão amanheça,
não deixe que eu rasgue sua fantasia,
não preciso de nenhuma verdade esta noite,
vamos juntar nosso carnaval até na terça
ou até quando outro ano voltar,
te quero minha, te quero colombina.





MINHA FANTASIA
Luiza Porto


Na noite de folia,
te encontro entre
densas nuvens de fumaça.
Fizemos amor, no salão,
e na praça.
Encerra a noite,
vem o dia.
Sozinha, foi o que restou
da minha louca fantasia.





Meus carnavais!
Ciducha


Hoje acordei lembrando
dos tempos idos
de carnaval


Vestida de Colombina
à espera do meu Pierro
com confete e lança -perfume
no salão eu me achava a tal


Todos usavam fantasias
a alegria era geral
a folia ia até o dia amanhecer
e ao deitar pensava no meu Pierro
e me punha a sonhar
Muitos anos se passaram...
Com eles, muitos carnavais.


Pedaços de história...
Grande parte da alegria,
que vez ou outra, me devolvem as lembranças,
As boas lembranças dos carnavais e dos amores

Grandes amores...





CARNAVAL FESTA DA ALEGRIA
Rogerio Miranda


Carnaval alegria,
fantasiada de folia,
o mundo gira
na ponta dos pés
de um desfile no
bloco da ilusão
de um amor que
acaba na 4º feira
de cinza...


Carnaval, ritmo
da passarela,
abrindo com a beleza
de suas cores a ala
decorada pelo
esquecimento da vida,
onde seus componentes
no compasso ensaiado
vivem uma fantasia...


São quatros dias,
que o luxo da pobreza
conhece seu dia
de gloria,
e na passarela do samba
reina com maestria
de um artista...


Suas rainhas comandam
o nu da beleza,
fascinando o mundo,
e no espetáculo
do mestre salas,
sua primeira dama
é a porta bandeira
de um desfile
nota dez...


Nos caprichosos,
cabelos da mulata
as escolas escolhem
seus enredos,
enaltecendo a riqueza
do Brasil...


Nos blocos da felicidade,
compositores puxam
seus sambas
sacudindo as arquibancadas
com o refrão de um
cenário que é uma beleza...


Entre lendas e mistério,
o povo se entrega
a fantasia, esquecendo
da vida;
neste palco os artistas
que vivem no anonimato
esperam o Rei momo,
para receber os aplausos
da alegria...


Do morro suas
cabrochas, descem
para se apresentar
ao mundo, e a velha guarda
do carnaval tira o chapéu
para as baianas,
passarem em frente a
bateria, tirando os aplausos
da platéia...

poeta da paz





CARNAVAL, SAMBA E ALEGRIA
Maria Tomasia


No Carnaval, vestirei minha fantasia.
Para comprá-la, trabalhei o ano inteiro
Poupando cada centavo do meu dinheiro
Porque quero sambar com muita alegria.


Não deixarei de divertir todos os dias
Dispensarei qualquer companhia
Esquecerei um ano todo de nostalgia
Mesmo gastando todas as economias.


Pularei e sambarei à noite e de dia
Sem nada nem ninguém para atrapalhar
Quero mesmo é o Carnaval aproveitar
Procurarei esquecer toda neurastenia.


Mas, depois que essa festa terminar,
Terei muito tempo para descansar
e um ano de trabalho para enfrentar
Até o próximo Carnaval chegar.





TODO DIA É CARNAVAL
( ROSE AROUCK )


Deixe seu pandeiro de brinquedo,
Venha sorrir sem medo,
Venha se divertir...
Esse carnaval é sem tristeza;
falta comida na mesa?
È pra pagar?... chore de rir!


Somos filhos da fruta
Sabemos a frase de cór,
para que se amofinar?
Mesmo o coração sangrando,
A mão na rua acenando,
deve continuar.


Não se importe com a idade,
Somos livres da vaidade
Temos mesmo que enganar.


Nesse bloco,
hoje vou de parceria
com a vã filosofia
Que assegura o meu viver.
Nesse ritmo, rugido na batucada,
Vemos a crise raiada
carecendo combater...


Todo dia, vibra em nós essa alegria,
Marretando em pleno dia,
Consagrando esse final...
coloque seu bloco nas ruas
fantasie as falcatruas,
no Brasil é carnaval.





Carnaval
Cibele Carvalho


Tira-se a fantasia
que se usa todo dia.
Expõem-se as almas nuas,
desfilando pelas ruas
em sua verdadeiras faces,
soltas, livres, sem disfarces.
Nesse desfilar de almas
abertas, desprotegidas,
rolam paixões proibidas,
revolvem-se águas calmas.
As almas cativas, libertas
por quatro dias inteiros
de sua prisão consentida,
mostram seus eus verdadeiros,
soltam as amarras da vida.





VEM… É CARNAVAL!
Edson Carlos Contar


Eu fui o apito chamando você pra avenida,
Eu fui tamborim repicando no seu coração,
Eu fui fantasia de amor enfeitando sua vida,
Depois virei cinza jogada, atirada no chão...


O vento me trouxe de volta e caí em seus braços,
Você me acolheu com abraços sentindo, afinal,
Que o sonho e a tal fantasia serviam pra sempre,
Fingimos ser terça-feira, ainda Carnaval...


Agite esses braços... Abrace a bandeira sorrindo,
E quando a saudade, um dia, vier maltratar,
Pense que está na avenida, dançando e ouvindo
O som do apito paixão, novamente a chamar...


Vem, querida...
A passarela se enfeitou de luz e cor,
Evolua nossa bandeira,
Que nosso enredo é uma história de amor...






CARDIOVAL

Luiz Poeta

- Luiz Gilberto de Barros - especialmente para o Clube de Poetas


Lá fora, os sons de um pandeiro,
De um surdo e de um tamborim,
Invadem ruas sem fim
De um dia de fevereiro


Teu coração bailarino
Pulsa em meu peito... te abrigo.
Num frenesi repentino,
Te chamo: - Dança comigo !


Lá fora, os sons se propagam
Mais fortes, intensamente,
Todas cadências se jogam.
Inteiras dentro da gente.


Teu corpo vem, me provoca,
Se enrosca em meu coração,
Tua epiderme me toca
E invoca minha paixão


Lá fora, pierrôs e palhaços,
Passistas e colombinas
Numa emoção que domina.
Tomam o amor em seus braços.


Aqui, a gente se abraça,
O quarto é o nosso salão,
Somos a espuma na taça,
O desejo em profusão.


O carnaval continua
Nas praças e avenidas
Numa ilusão seminua,
Curando tantas feridas.


Meu coração, bailarino,
Às vezes tão arlequim
Penetra teu ser menino
Que acorda dentro de mim.





AMOR DE CARNAVAL
Itana Goulart


Você Pierrot, eu, sua Colombina...
Foi tudo lindo, perfeito,
A noite estava linda...


O baile chega ao final
Muitas promessas, juras...Telefones coisa e tal,
Acabou- se tudo, enfim, era carnaval...


Ilusões e sonhos são temporários


Raios e trovões assustam,mas passam...

Perfume de Mulher





QUADRILHA DE CARNAVAL
Tereza da Praia


Pierrô que amava a frívola colombina,
Que amava o palhaço enfeitado,
Que amava a jardineira, mulher muito fina,
Que amava o alegre arlequim,
Que não amava a ninguém.
O pierrô acabou chorando;
A colombina ficou sozinha.
O palhaço caiu em desgraça
De tanto fazer pirraça.
A jardineira, pobrezinha,
ficou triste,
Porque o arlequim não era um amor perfeito,
Era um homem cheio de defeitos,
Deixou-a por uma vizinha.
Que não gostava de carnaval,
Uma quase santinha,
Que aproveitava o feriado
Para retiro espiritual.





LA MASCARA BLANCA

Cómplice de secretos
Para enlazar nuestras vidas
Usé esta máscara de pureza.
Los sentimientos,
si no encuentran barreras a su paso,
caminan intensamente...
Y aunque este amor sea ausencia
creará, si lo dejo,
un oasis, un claro horizonte...
Sin temores...
Para que tu alma piense
que ya no está sola...
Pero la vida es dolorosa, sucia y breve...
Y cuando me quite la máscara blanca,
sabrás que fue un sueño...
Un sueño de la estación del Carnaval...
La máscara es negra...
Porque mi vida
nunca estuvo en lazos con la tuya...

marta diaz fonti



A MASCARA BRANCA



Cúmplice de segredos
Para enlaçar nossas vidas
Usei esta máscara de pureza.
Os sentimentos,
se não encontram barreiras a seu passo,
caminham intensamente...
E ainda que este amor seja ausência
criará, se o deixo,
um oasis, um claro horizonte...
Sem temores...
Para que tua alma pense
que já não está só...
Mas a vida é dolorosa, suja e breve...
E quando me tire a máscara branca,
saberás que foi um sonho...
Um sonho da estaçao do Carnaval...
A máscara é negra...
Porque minha vida
nunca esteve em laços com a tua...

marta diaz fonti






Baile de Máscaras
Nídia Vargas Potsch



Trajando bela fantasia de pirata
que teu corpo atlético ressaltava
entraste no salão, pagaste-me a mão ...


Segui-te confiante, sorri enlevada
querendo decifrar a intrigante máscara
e o olhar que me pedia indagador ...


Amor verdadeiro entranha n'alma.


Pós Carnaval a máscara sempre cai ...

@Mensageir@







Carnaval
Roze Alves


Grande e famosa festa anual
Alegria de todas classes sociais
Afinal, festa profana ou divinal?

Os que pouco tem, viram reis na folia
Os que muito tem, extrapolam por ter mais
Desfiles se misturam com retiros sem anarquia

Máscaras ou cara limpa, todas valem como fantasia

Choros de dor ou alegria, todos passam após a folia

Amanhecer-M






Alegria no pé... Samba no coração!
Priscila de Loureiro Coelho


É tempo de carnaval
Modinha, samba e frevo
Tudo muito especial
Que criticar nem me atrevo


É tempo de alegria
Muito som e movimento
Cores e fantasia
Enfeitam esse evento


Não se vê pé descansando
Inerte pela calçada
Todo pé já vai sambando
No ritmo da batucada


Quem já viu um pé sorrindo
Sabe que era carnaval
Ele vai se consumindo
Com uma graça original


Confete e serpentina
Espalham-se pelo salão
O pé acompanha a batida
Do samba no coração


Tudo é belo e colorido
Tudo é festa na cidade
Mesmo o pé dolorido
Samba com facilidade


O coração pulsa forte
Comandando cada pé
A alegria traz sorte
Para quem samba com fé


No batuque da escola
Samba o pé bem animado
Quem entra na roda agora
É destaque consagrado


A alegria vibrando
Na cadência da emoção
Mantém o pé se agitando
No compasso da canção
Assim carnaval é alegria
Independente de idade
Festa onde rola euforia
Tempo que deixa saudade
Onde a coreografia
Movimenta a sociedade!







Reverencias, ao profano carnaval
George Alves


Pula carnaval
Brincar carnaval
Amor de carnaval
Sonhos de carnaval

Musicas, danças
Axés, sambas
as antigas marchinhas
Dos carros alegóricos

Aos contagiantes trios elétricos
Que a todos contamina
E tudo é só dança, jeitos e trejeitos
Com a pura essência da alegria

O que importa é se esbaldar
a alma desopilar
o coração desabafar
E somente a euforia ficar

Se fantasiar, seja do que for
de palhaço, de alguma caricatura jocosa
de príncipes ou rainhas
ou mesmo do dia a dia

Seja dentro das cordas dos blocos
Seja atrás dos trios elétricos
pulando, saltitando feito pipocas
Festa da alegria popular

Todos a brincar, a dançar
nos mesmo lugares
embalados pelas mesmas canções
Sob a mesmas vibrações

O coração saltitar
A moral dançar
A etiqueta troçar
Extasiado o coração disparar

Joe’A

2 comentários:

Anônimo disse...

Marildaaaaaaaaaa!!! Maravilha de Atualização! Poetas, parabéns, belos versos!Beijus Anna Peralva

Anônimo disse...

Um bloco de poemas maravilhoso! Abram alas que querem passar... Lindo! Beijos Eliane Triska