terça-feira, 3 de junho de 2014

NOSSOS POETAS DE A a H


ABSOLUTA

Adelia Mateus



Sim, sou

absoluta

do amor

gostoso,

carinhoso,

meloso,

dengoso,

safado,

cheio de

desejo,

delírio,

louco na cama

aquecendo,

 beijando,

sussurrando,

sugando,

sentindo

coração

acelerado,

impaciente,

absoluta,

do amor.



Noites de luar ...

Autora Angela*Poesi@


Noite ... de luar azul..
Céu estrelado... 
Lua de raios prateados...
Raios que atingem minh'alma


E desperta meus sonhos...
Já adormecidos...
Amarelados pelo tempo...
Mas Jamais esquecidos...


Meu coração se agita...
E  lagrimas rolam em minha face...
E quando o dia amanhece ...
Só ficam as lembranças...

Brasília 13/05/2004



Ventura

Anna Peralva



Seus braços me enlaçam,
no entrelace de corpos
peles se abraçam!

Tempo que se cala,
nas horas que passam
só o amor fala!

Suave é a mistura
de múltiplos sentimentos,
você em mim, magia pura!

Seu olhar preso ao meu
num fundir de almas,
paixão em apogeu!

E na boca da sedução
somos únicos, ungidos
pela ventura da emoção!



Se você

Cibele Carvalho


Se você ficasse aqui,
seria outro o tema do meu verso...
eu mudaria minha realidade
e não sentiria esta saudade.
Se você não precisasse ir,
não teria de vê-lo partir
nem existiria a ansiedade
convivendo com a felicidade.
Se dissesse - não vou mais embora - 
eu não precisaria registrar
as linhas que escrevo agora.
Se você... mas isso não importa!
O importante é vê-lo chegar
e atravessar o vão da minha porta!

RJ,01/02/2014



O Sonho da Fada

Cida Valadares



Senhor de todos os senhores,
Eis  aqui o sonho meu
Leve-o, os pássaros, em bando.
Dar-te-ei os meus penhores.

Quero viver a plenitude
Que existe em todo querer
Falar-te sempre e amiúde
Do bem que sonho em fazer.

Além de todos horizontes
além  do bem e do mal
Jorre em mim as tuas fontes
Preciso do teu sinal.

Do bem  que eu viver
Hei de a todos oferecer.
Mas... para isto, meu Senhor
Confesso-te com humildade
Para total felicidade
Quer de Querubins ou Arcanjos,
Dê-me as asas dos Anjos.



Descubro

Clara da Costa


No silêncio, apenas escrevo
nessa tentativa inútil de resgatar o riso,
brincando de esconde-esconde,
tentando limpar as frestas do passado.

Oh,saudade,
estou docemente perdida em tuas mãos, 
embriagada no teu manto,
enrolada em suas teias!

No retrato, perco-me no teu sorriso,
no teu olhar azul,
nos teus cabelos prateados...

A loucura se entrelaça com a lucidez,
descubro que te amo,
muito mais que já te amei....!



Reflexo

Delasnieve Daspet


.
Olhei-me.
Lá estava a minha imagem...
Fiquei parada
Olhando para mim mesma...
Eu, ali, parada,
Na minha frente...

.
Sem noção do tempo
O olhar   anuviando,
Imagem  apagando,
Dissipou feito fumaça;
Desapareceu!

.
Ficou apenas um rastro
De luz perdido no espaço...

DD_Delasnieve Daspet - Campo Grande MS- 06 de janeiro de 2014



Totalidade do Ser...

Dioni Fernandes Virtuoso


Do emaranhado da solidão,
abres  asas e alças voo
feito ave liberta, sobrevoando
num adeus, os ecos
do amargurado  coração... 


E a lua, com fiel cumplicidade,
vai despindo as almas,
revelando ocultos desejos
de  secretos momentos,
tão plenos de felicidade... 


A imaginação, num doce pecado,
cria o ser amado no vulto dos tecidos
despindo a dor da alma...
E num fervilhar de corpos, 
vivem o momento tão desejado.... 


A gota preciosa escorre nos lábios
que beijam, sussurram, começam a viver...
E a ave, feliz, voa mais alto, mais alto,
agradecendo a bênção dos anjos...
A totalidade do ser... 

Criciúma/SC
29/08/11




Outono
Eliana Ellinger (Shir)


Era outono.
Folhas secas pelo chão,
naquela tarde tão amena, 
sentei-me à beira do lago...
...sentia-me tão pequena...
Deitei na grama, adormeci.
Era o vento me embalando,
 folhas caindo sobre mim,
levemente me tocando...
...sentia-me tão serena...
Iam folhas se juntando
que teu corpo foi moldando,
nossas mãos entrelaçando,
teu rosto colando ao meu
assim, como sempre aconteceu.
Não percebia que sonhava
- era tudo tão real -
pois teu cheiro me envolvia,
teu calor me aquecia,
como fosse um amor total.
Foi-se o tempo passando,
a saudade alimentando
a falta sentida de ti,
querendo naquele momento
ter-te comigo alí...
Mas, chegando a noite, te foste,
deixando o amor para trás,
sem te esquecer um instante,
pergunto ao vento...onde estás?

Hazorea, 8/04/2012



Calunias

George Alves 
Joe'A


Calunia, falsa imputação a inocentes
ação por infames interesses 
de quem não tem argumentos da verdade
de quem não tem a força do Bem

Provem da inveja, pecado capital
não é um pecado venial, e sim mortal
uma transgressão a moral e a dignidade
Por a alguem prejudicar indevidamente

De forma furtiva, desleal
pois nunca é presente
age nas sombras da maldade somente
linguas venenosa de serpente

Sibilantes, rastejantes
nos seus movimentos imcompetentes
Seres repulsivos, inconsistentes, indecentes
Que a verdade vai condenar eternamente



FELICIDADE

*Gilda Pinheiro de Campos*


Amanhecer vendo-te ao meu lado
dormindo tranquilo e feliz
saber que es afinal todo meu
é um privilégio...

Quantas vezes desejei  e
agora que te tenho inteiro 
me parece um sonho...

A madrugada foi preciosa ..
Sem vencido nem vencedor...
fiz de tua boca meu regalo
percorri teu corpo inteiro e bebi
 no cálice ,o nectar do prazer...

Tu me abraças-te e fizeste 
o caminho inverso do prazer...
Fomos ao delírio ...puro extase... 

Já não pergunto mais
-Felicidade onde estás?
Com quem estás?
Que ausente estas 
de quem amamos...
Ela chegou...

em 20/09/2009
às 5:45p.m. 




Silêncio

Hamilton Brito

  

E esse silêncio que não para

É um silêncio que chora, soluça

Um silêncio de gemido fraco...

Lá fora o mundo grita .

É uma brecada  de carro...

Barulho de janela quebrada

Pela bola de um menino...

Lá fora, a vida é um hino.

Por que comigo é assim?

É um silêncio de saudade

Grito que só eu escuto...

Esta porta que não abre

Para alguém que nunca vem.

A velha lâmpada tremula

Está velha, usada, queimou.

A lâmpada posso trocar

E assim afasto a escuridão

Mas esse silêncio...

Gritará sempre em mim



Outonos e invernos habitam  mim. As primaveras ela levou....




Folhas Desbotadas

Hilda Rosa



Suave corre o tempo,
passando ora despercebido,
ora corrido.

Há colorido nos momentos outrora vividos.
Agora folhas esmaecidas de um livro já lido.

Mas nelas existem amores vividos,
lágrimas derramadas,
alegria de  enamorados.

Um corpo desnudo
do pudor, por puro amor.
Há sorrisos ruborizados,
cochichos recatados,
planos compactuados,
paixão vivida.

As folhas desbotadas do livro lido
despencam, caídas uma a uma...
aos pés da senhora vida

Nenhum comentário: