quarta-feira, 13 de maio de 2015

A COR NEGRA - Rose Arouck



A Negra Cor...
Rose Arouck

 
A negra cor
reluz ao luar...
E o açoite do fraco
pulsando em contraste
faz  o suór sangrar,
Forçando essa linda  raça subjugar.
 
O rubro do negro contorce-se
  valendo-se de seu Orixá...
E o couro molhado, misturado,
com o couro do tambor,
ruge a clemência
em ritmo de potência,
silenciando a cruel dor.
 
É o homem escravo do homem
que desconhece o seu valor.
Lembrando isso, com gana, ainda
 mais ruge o tambor
pra calar aquela dor.
 
Veio o sol da liberdade tardia
que trouxe uma pobre alforria
Soltando e deixando o relento repor.
Veio o sol que fez arder
a ferida que não quer parar de doer...
Dói até hoje no homem de cor. 


Poesia e arte Rose Arouck

Nenhum comentário: