quarta-feira, 25 de setembro de 2013

NOSSOS POETAS DE A a E



Sonho louco
Adelia Mateus


Este sonho me consome
Como brasa queimando meu corpo...
Sonhando  com quem?
Nao sei...
Ou sei ?
Só sei dizer que você está
sempre em meus sonhos...

Sufocando meus desejos
em delírios de amor...
Sentindo seus carinhos,
suas carícias,
seus beijos...
E sussurando baixinho
Eu te quero!

Apenas um sonho louco.




A CADA INSTANTE...

Anna Peralva


Por mãos ternas meu corpo foi tocado
numa troca única de sentimentos...
Em tatuagens permanece ali registrado
a intensidade do amor em seu tempo...

Louco e doce pecado, submissão...
Alma nua, prisioneira em alvedrio.
Fogo da paixão dominando a razão,
pele suada, extasiada, ardente cio...

Num vício sem limites, embriagantes
entregas...Olhar sempre enfeitiçado!
Boca selando beijos, néctar delirante
no ilimitado prazer ao homem amado!

Assim cavalgo livre no firmamento,
sem introduzir lucidez à hora...
Pois que, no anal cabal do momento,
a cada instante um sonho vai embora!




Sonhos e Fantasias...

Angela*Poesi@


Sonhos que te quero...
Quero aqui na minha mão...
E guarda-lós em meu coração...

A vida é uma fantasia...
Quero me vestir de brilhos...
E meus dias iluminar...

Magia que por ai esta...
Vem me surpreender ...
...E comigo viver...

Ahh..e o amor...
Que alimenta minh'alma...
Eu vou sempre reverenciar...




IDÍLIO INFANTIL

Antenor Rosalino


Relembro a bela menina
Da minha infância fugaz,
- Com expressão de ternura -,
Recusando o meu flertar.

Como uma estrela cadente
Dissipando-se no ar...
E meus rabiscos no chão
Que a chuva veio apagar!

As minhas bolinhas de gude
De toque em toque perdiam-se...
Mas a bolinha amêndoa, porém,

Ocultei dos toques rudes,
Pois nela eu via cintilar
O seu castanho e meigo olhar.




Eu Quis

Ariovaldo Cavarzan


Dos embates da lida,
eu quis a vivência;
da verdade,
a inteira aparência,
como luz a aclarar 
umbrais de inocência.

De dores e amores,
eu quis sapiência
e entre paz e temores,
a fé sem ausência.

Ante incertezas,
eu quis inquietação,
buscando erigir na esperança,
a força do meu coração.

Quis em escarpas por caminho,
enredar fardos de provações,
e também suspirar sozinho,
para sentir brisa fresca,
em suaves dosséis de emoções.

Quis semear e ver florescer 
frutos de serena vontade,
aflorados em calmaria
de searas de bondade.

Quis sorver ares
de bonança e ansiedade,
de espera e inquietação,
buscando entender,
nos mistérios da saudade,
os descompassos do meu coração.

Quis saciar-me na luz,
irradiar, ser fanal, farol,
quis sofrer, quis amar,
transcender, flutuar,
e em janelas de sol 
debruçar.

Quis firmeza de fé,
e em acalantos de amor,
a paz alcançar.

Quis ser sábio e humilde,
paciente e destemido,
feito planta de esperança
que o açoite da ventania
não consegue vergar.

Quis ser forte,
calmo, sereno, heróico,
mesmo diante da morte,
para sentir-me estóico,
protetor, ajudante, cuidador, 
despenseiro de amor,
e alcançar norte de vencedor,
mesmo que preciso fosse chorar.

E para bem prover
esse todo meu querer,
do bem Alto uma voz sentenciou: 
Vai!

E o amoroso Deus Criador,
simplesmente me fez 
Pai.




AMIGOS FIÉIS

Ary Franco 


Desde criança, tive muitos amigos.
Um de cada vez... eles se revezavam.
Dava-lhes carinho, comida e abrigo.
Incondicionalmente eles me amavam.

Tuca,Charlot, Mongol, Marquesa, Tukão,
Quantos mais, a todos amava de coração.
Ficavam comigo por tão pouco tempo...
Deixando-me tristonho, em desalento.

Hoje tenho uma nova amiga cadela.
Está com três anos e se chama Bella
É uma Rottweiler, minha fiel guardiã 
Todos os dias me acorda pela manhã.

Quando saio fica atenta a me esperar.
Só quando volto, torna a se alegrar.
Sei que partirei pra sempre, antes dela
E ficará ela esperando-me na janela...

Quando a acaricio, procuro explicar
Que isso, um dia deverá acontecer.
Só de nessa hora começar a pensar,
Meu coração queda fraco a pulsar!
Preocupo-me como deverá ela padecer,
Esperando minha volta, sem eu aparecer!



Adeus querido!

Augusta BS


Não quero mais saber dele. 
Não quero,oras!
Que mania essa, das pessoas darem palpites sem pedirmos! 
Não dão conta das suas vidas e vem "palpitar" na vida da gente.
Sem graças, credo! Que saquinho isto!
Que mania chata!
Pois é, não volto atrás, não quero mais saber dele.
Nem vou fazer rifa dele e nem fazer leilão,tá?
Estou casada há 36 anos.  Pô, juro...Tô cansada!
Isso é ser uma Anita Garibaldi... Uma heroína !
Esse já é o meu terceiro companheiro.
 O primeiro morreu velhinho. O segundo, usei um bocadinho
 e sem mais nem menos, ele também se foi. Não valia muito não. 
Não era assim tão quente como o último.
Sim, último.  Não quero mais saber dele na minha vida.
 Eu falo do calor que ele tem, mas to cansada. 
CAN-SA-DAAAAAAAAAA!
Pensei em me divorciar, separar, mas nunca tive coragem.
Ele me quer de manhã, ao meio dia e ainda à noite, gente!
Estou com 60 anos e ele não me dá folga! 
Não tenho mais aquele pique que tinha quando casei!
 Afffff!
Não quero mais, não quero mais, não quero mais...
  Queres pra  ti?
Vou avisando, ele trabalha bem, tá?
Meu pai, como trabalha!
Tem um bocão que já fez coisas e como fez...
Antigamente, eu até era simpatizante, gostava.
Oras quem não gosta de um bocão? 
Boca santa, credo, cruz!
Isso eu dizia antigamente.
Se aquela boca falasse, meu pai! Já fez coisas maravilhosas.
Sempre quente,um calor que não quero mais! 
Deu o que tinha que dar e ponto final!
Hoje, não estou mais com saco de aguentá-lo, oras!
Tão fácil me separar dele!
 Bem isso mesmo, Deus dá asas pra quem não sabe voar,né?
Outro dia, minhas amigas até falaram num coral, para de reclamar dele, guria!
Dá até alergia quando chego perto dele.
 Tadinho, tão querido, tão trabalhador, não tem boca pra falar de nada...Só pra usar. 
Olho pra ele e acho que vai longe! Coisa mesmo de família! 
A família toda dele é assim, vai longe e tem "um fogo"!
É uma chama que não apaga nunca!
É, ele é da marca Fischer e é aquele de mesa, bem moderno.
Mas não aguento mais cozinhar nem nele e nem em outro fogão!
Queres pra ti?
Esse eu dou de mão beijada,tá?
Esseeeeeeeeeee!




UM DIA ATÍPICO

Beki Bassan


De repente, um dia você acorda,
e sente dores ao se levantar.
Você se pergunta: mas o que é isto?
Levanta, a dor melhora e você segue em frente.

Ao sair para fazer compras...
Você percebe que nada do que você quer tem.
Paro, penso e digo "isto não é normal".
Mas o que fazer? Nada por enquanto.

À noite você recebe um telefonema,
dizendo que seu filho não está bem. 
Agora, ultrapassou qualquer limite.
A brincadeira acabou.

Não consigo entender aquele dia,
mas também agora não quero saber mais.
Apego-me a minha Fé em D´us e rezo.

Nada foi resolvido ainda mas sei que esta nuvem,
voltará para quem mandou para cá.
Isto não tenho dúvidas.
Então o melhor a fazer é dar um tempo,
que a bonança retornará logo logo.




Primavera

Carlos R. Lemberg


A mais bela das estações do ANO.
Onde o belo renasce.
Renasce a vida das árvores e das flores.
Toda a NATUREZA renasce.
Nós os SERES HUMANOS, também devemos
imitar a NATUREZA, tendo como
exemplo a PRIMAVERA.
Vamos procurar renascer os nossos
sentimentos por uma vida mais bela,
plena de AMOR, FELICIDADE,
SAÚDE e muita
PAZ




DEPOIS DA SUA PARTIDA

Cibele Carvalho

  
Depois da sua partida,
fico um pouco perdida,
sonhadora, distraída...
Meu corpo, então, repleto
dos seus beijos e carícias,
ainda sente as delícias
da sua presença em mim.
E permaneço assim,
abraçada ao travesseiro,
sentindo, ali, o seu cheiro.
No lençol todo amassado,
revejo-o, ainda deitado,
espalhado, à vontade,
totalmente apaziguado 
por nossa intimidade. 
E desejo, ardentemente, 
tê-lo aqui, novamente.




Promessas

Cida Valadares


Eu te prometo, amor, quando me quiseres
A ti, querer... enquanto a mim vieres
E me trouxeres flores, no olhar...

Prometo cuidar deste amor nascente
Como se fora tênue semente
Quase morta no solo, a debruçar.

E regarei, nem que seja com meu pranto, 
Por todos os lados, de canto a canto...
Cantando uma cantiga de ninar.

Prometo defender-te, amor, das tempestades
Que, de repente, assolam atrevidas
Nossas janelas e as nossas vidas,
Fazendo uivar o vento e apedrejar
De granizos, os nossos laços,
Em nosso lar.

E, quando, se este amor 
ainda botão nascer,
Farei redoma com minha própria mão
e cuidarei
Até...desabrochar a flor.

Trarei teu cheiro para minha pele
Trarei mais cuidarei, flor a flor,
Para, quem sabe, um dia
Enfeitar o nosso ninho de amor.

E então, quem sabe à luz das velas
Tu poderás chegar, devagarinho,
Ciente de que aqui, em mim, 
Encontrarás carinho.

Mas... se não vieres, amor
Que pena!
Tua cadeira há de ficar vazia
E os meus olhos encontrarão 
nas noites frias
A doce melodia do coração
Que sofre.

Prometo-te então, amor, revelar-te 
Após a morte
Que em vida, 
Por mais que eu tenha sido forte
Tu não vieste 
Não te encontrei...

Mesmo assim, eu te prometo amor
Jamais amar alguém como eu te amei
Que em não encontrar-te, amor
Por me perder de mim, eu acabei.

E este meu sozinho amor
Apaixonado e puro
Consegue ir além de todas as promessas

Eu te asseguro,
Que te prometo, amor
E ainda Juro!




Eu quero... 

Ciducha

Amar sem imposições.....sem cobranças!
Simplesmente amar......
E não amar porque é preciso
Por dever .

Por gratidão.....
Por perdão!
Não...
Eu quero amar
Nem que seja um amor inconsequente,
Nem que seja breve.......
Até por um instante!!




Age, Agora!
      
Delasnieve Daspet – 19-10-06


Age, agora!
Tua ação pode ser o raiar as claras da alvorada,
Tua omissão será como o escurecer da 
Misteriosa tristeza de uma noite sem estrelas...

Age, agora!
Teu agir será como uma sinfonia dos ventos nordestes,
E não o soluço das brisas sem alento!

Age, agora!
Teu grito de alerta acordará os adormecidos,
Que sentirão o mesmo medo e dirão:
Pobre Terra, Pobre Humano!

Age, agora!
Pois a paz se realiza na caridade,
Ela se firma na bondade,
Ela leva em si a esperança
Que tanto nos falta!

Age, agora!
A indiferença e o desamor matam!
Se tens a Paz,
Não sonhes com o amanhã, 
Age, agora!




Anjo Meu...

Dioni Fernandes Virtuoso

Ressurges em meio as brumas 
da minha solidão...
Dissipas as tristezas,
enches de alegrias o meu coração...
Tudo, então,
 se transforma em poesia,
suave melodia...
Bela canção!
És anjo, por Deus enviado,
para renovar o sopro da minha vida,
recuperar as emoções perdidas...
Trazer minha Renovação!




AMOR

Elaine Ermel

Através da silenciosa  linguagem do  luzir das suas  estrelas,
a noite intui-me a concepção da magnanimidade, 
 que há na essência desse sentimento,
dessa divina  força vital que derrama-se sobre o universo,
manifesta também no teu angelical sorriso,
na sonoridade do teu riso,
 no calor dos teus braços, 
como um poema que em mim se dispersa.
E revela-se com toda sua plenitude,
quando teu corpo no meu corpo,
os dois numa condição de completitude, 
tem visões do infinito,
em um só compasso
dançam no espaço.
Ah! Se possível fosse descrever com palavras sua magnitude!




Eu, Saudade...

Eliana Ellinger


Sim, sou eu saudade,
com poder e austeridade,
que apossou-se de mim...
Alojou-se em meu peito,
e o sentir
não tem mais jeito !
É dela que ora vivo,
no caminho construido
com pedaços de ilusão,
palavra que faz tão triste
meu  pobre coração ...
Livre eu sou, mas... e agora ?
Onde estás ? Minh'alma chora !
Em meus passos não te encontro,
miro o céu e as estrelas, 
sinto frio em meu corpo,
falta habita em cada porto...
Cai de meus olhos a chuva,
molha-me o rosto em desgosto,
tira-me o sono, a lembrança
esvai-se e retorna  a esperança...
Sol nascente ou poente,
desvairando em solidão,
esse acalanto profundo
de um adormecido vulcão...
Hoje sei, com bem certeza,
o que se passa em mim :
Seja eu lua, um planeta,
ou a cauda de um cometa,
nas asas de um querubim,
por mais que siga essa estrada,
por mais que vôe nas alturas,
meu amor cresce, não tem cura,
coloco no apogeu apenas tu e eu !
Saudade ?
Dor demente, de um amor
tão ausente, tão afastado de mim...
Hoje em brumas meu caminho,
de esperar tanto assim,
Eu, saudade, me consumo e
vou perdendo o fio de prumo,
perdendo tudo enfim !




POR TEU DESPREZO

Ervin Figueiredo 


O vento ressoa na vidraça um lamento,
Como a dor que dilacera e ouve o grito.
Assusta quando ouvimos tal tormento,
Nos deixando à todos pasmos pelo aflito.

A sensação que nos deixa é sem igual,
Nos fazendo solidário ao torturado.
Um sentimento tão profundo e anormal,
Que nos remete à mundo inexplorado !

Ah! Sentimento vil que nos desdenha
Nos colocando paramento de debique,
E nos fazendo personagem de resenha

Como náufragos, como quem vai a pique,
Nos deixa embrutecidos, nos faz penha,
Neste desprezo se me vir, não me critique ! 

Trabalho de arte Marilda

Um comentário:

HAMILTON BRITO... disse...

Gratificante visitar um blog com tamanha junção de quantidade e qualidade...belos textos
Cumprimento em especial o meu amigol e conterrâneo Antenor Rosalino, bom vê-lo aqui