6 de mar de 2015

POESIAS DIA DA MULHER



EU, MULHER!
(ZzCouto)



Amar, sofrer e chorar,
eu faço como mulher
e tenho feito em todos esses anos.
Mas não trago as marcas
do cansaço e nem carrego
a dor dos desenganos...
Olho o meu rosto e vejo,
em cada traço,
que a desventura não deixou
seus danos.
Jamais conheci fracasso
e se preciso, 
reformulo os planos
amando e perdoando...




ÉS

*Anna Peralva*
      
      
És sonho,
olhos da poesia
no sopro da vida.

És luz
no sol que desponta,
na lua que encanta.

És redoma
do fruto sagrado,
nas formas redondas.

És sustento,
no seio o néctar
do puro alimento.

És paixão,
na pele nua
fluindo emoção.

És amor,
essência divina
matizes de seda fina.

És bem-aventurada!
Anjo-mulher
perpetuando a caminhada!




Mulheres...
              Simplesmente!
Nídia Vargas Potsch



Mulher...
capricho dos deuses
amor ardente
poesia d'alma.


Mulher...
figura ímpar
magia do ser
plenitude do amar.


Mulher...
rima magistral
entrelinhas estonteantes 
canção às avessas.


Mulher...
Coração implora
Razão diz, não
Alma cede.


Mulher...
rosário de lágrimas
rio de volúpia
deságua em querências


Mulher...
reflexo
em noite silente
do sonho masculino

@Mensageir@



FLANDO DE MULHER 2015

FALANDO DE MULHER

Luiz Poeta ( sbacem -rj ) - Luiz Gilberto de Barros

Às 9 h e 10 min do dia 7 de março de 2005 do Rio de Janeiro - Brasil



Como é difícil falar deste ser maravilhoso
sublime, misterioso,  denominado mulher...
como é difícil calar um verso impetuoso,
de um poeta habilidoso que no fundo sempre a quer...


Meu Deus, como é complicado riscar um verso discreto
que fale esse dialeto dos homens, pobres mortais,
um verso bem  inspirado que  diga o que a gente sente,
por elas... que incompetentes que somos, que animais ! 


A mulher é tão completa, sonhadora... realista...
Que nós, os especialistas, delas não sabemos nada,
E não basta ser poeta, ser homem ou ser amante
deste ser apaixonante, desta musa tão amada...


Para entender cada gesto ou ímpeto ou devaneio...
Quem não precisa de um seio para se tornar menino ?
Somos seres tão modestos diante desses monumentos,
Nunca estamos desatentos ao talento  feminino.


A mulher é tão divina e o homem é tão carente...
Meu Deus, como é atraente falar de uma mulher:
Inteligente, sensível, talentosa, companheira,
Eu daria a vida inteira para tê-la... quem não quer ?


Mas tê-la inteiramente: no espírito,em pensamento... 
Em todo e qualquer momento e... na cama, por que não ?
Afinal, o coração de um homem só é completo
Quando este ser predileto habita seu coração. 



    
                        MULHER DOS MEUS ENCANTOS
                       
                        Jorge Humberto 

                                     
                   
                   
                  Mulher de todos os encantos e flagrantes
                  Fragrâncias, passas por mim num sorriso
                  E deixas na areia da praia as insinuantes
                  Formas, que fazem com que perca o siso
                   
                  E por ti me enamore, na alvorada nascida.
                  És perfeita, em todo o teu subtil segredo,
                  Pele etérea e perfumada aqui percorrida,
                  No mais recôndito do teu ser alva e negro.
                   
                  Teus seios são como os distantes montes,
                  Tua púbis é mel dos deuses, que esperam
                  Por ti nas límpidas e mui sagradas fontes.
                   
                  Quem és tu que encanta miles de gerações? 
                  Por ti suspiram os cavaleiros e desesperam, 
                  Para com suas lanças matar os dragões.
                   
                  Jorge Humberto
                  28/02/07
                   




SER MULHER

Maria Luiza Bonini

Ser mulher é manter alerta todos os sentidos
Para sempre estar pronta a atender
Aos que se sentem orfãos ou preteridos...
Na incessante missão de doar-se, em ser

Ser mulher é somar dor e alegria
Em todos os momentos
Transformando realidade em fantasia
Anulando o que seria sofrimento

Ser mulher é saber ouvir
Com a sapiência de um sábio
Sobre o que ouve, silente, refletir
Para quando disser, em suas palavras , seja hábil

Ser mulher é atenuar horas difíceis
Com sabedoria, ternura e compreensão
Em atitudes e palavras dóceis
Seja ou não, reconhecida em sua abnegação

Ser mulher é manter-se em sintonia
Com o universo, como incansável guardiã
Preservando a vida em sinergia
Acolhendo em seu ventre como a mais perfeita anfitriã

Se és mulher, sinta-te louvada
Em todas as horas de todos os teus dias
Que seja por todos amada
Pois tu és a própria vida, em poesia



 SER MULHER

Adelia Mateus


Que felicidade ser MULHER!
Mulher menina
alegre, inocente, brincalhona...
Mulher adolescente 
 sonhadora, destemida, teimosa...
Mulher adulta
guerreira, delicada, audaciosa...
Mulher madura
Esta é a melhor fase...
Sabe o que é amar
sofreu por amor
cai e levanta com categoria
sempre de cabeça erguida.
 Coração forte para amar
quantas vezes precisar...
Por isso tenho orgulho de ser
MULHER!



MULHERES

JRonaldo-JR



Mulher madura sabe o que quer
Sabe ser  muito "mais mulher"
Mostra o que deve mostrar
E oculta o que deve ocultar

Mulher de verdade
Hoje é raridade
É um grande tesouro
Pesa mais que o ouro

Ah! quanta experiência
Em sua vivência
Dengosa, amante, faceira
"Mãe" sempre a primeira!!!

Quem tem uma de verdade
Guarde para a "eterna-idade"
É o tesouro que "ELE" fez
Em sua maior lucidez

Mulher em toda era
É a Mãe terra
 Sua magnitude
Resplandece em suas virtudes...

Na sua missão
Transmite paz e união
É a unificação transcendental
Muito acima do bem e do mal

Em seu imenso coração
Ela só quer atenção...
O fel ela transforma em mel
Na terra? é o próprio ceu!!!

Ah! a mulher à florescer
Como tende a crescer
Como uma flôr a desabrochar
Ela só quer amar dar...



ÉS MULHER

 Ariovaldo Cavarzan


 És o claro-escuro 
 que me vem despertar
 de sonhos, a cada manhã.

És espiritualidade e matéria, 
 és felicidade, és dor,
 és eterna vontade, és amor.

És sombra benfazeja,
 fruta doce, luz que se irradia,
 és água fresca que sacia...

És o cantar alegre 
 de pássaros, no arrebol,
 e és estrela cadente despencada, 
 em noites caídas depois do sol.

És o pulsar dentro do peito,
 és água, fogo, ar,
 és amor que não tem jeito, 
 és o sossego e a calma,
 depois do chorar.

 És o riso escancarado
 de claras manhãs,
 és brisa fresca que suaviza 
 cotidianas jornadas,
 és rumo, norte, sorte,
 és futuro ainda sonhado.

 És presença que faz falta,
 ternura de hora certa,
 mão que afaga,
 abraço que conforta,
 carinho que liberta,
 és esperança, porta, 
 estrada, jeito de fazer novo
 cada novo amanhecer.

 És companheira, 
 amiga, amante, confidente, 
 és paixão verdadeira,
 és tudo o que quiser,
 eis que, realmente,
 és anjo de Deus,
 és Mulher.



Mulheres...Mulheres...

Rose Arouck
  

Só elas, com paciência,
o mundo souberam conquistar.
Mulheres duras, fracas.
Mulheres de todas raças.
Mulheres guerreiras,
Mulheres sem fronteiras
Mulheres... Mulheres...

Em qualquer situação
pra sentir emoção
são as primeiras...
E quando sorriem consolam
quando choram 
regam a dor...
É o seu jeitinho único
 de fazer brotar o amor.



Mulher
Rita Rocha

Magistral obra da divina Criação,
 intimamente ligada a sua natureza
o dom da vida, e sua perpetuação,
num mister de docilidade e sutilezas.

 Seus predicados chamam atenção,
mostram força, criatividade e delicadeza.
Tem sempre na alma intenção
de se doar com  amor, sem fraqueza!

Mulher é força, mistério, emoção,
vivenciando suas dúvidas e incertezas.
Oito de março: Há Comemoração...
Poetizemos na Mulher e sua beleza!

Viva o Dia da Mulher!
Um beijo a você...
pelo Dia Internacional da Mulher!



Santo Antônio de Pádua, 06/03/2015





QUERO UMA ROSA VERMELHA

MARIA LUCIA VICTOR



No dia 8 de março quero uma rosa vermelha para enfeitar meus cabelos e me deixar mais faceira. Uma rosa que perfume minha feminilidade, que me inspire a descobrir nos confins da humanidade o porquê de minha essência e os mistérios que abrigo ao conter a maternidade.

E neste dia que é meu, que me deram de presente, quero um vestido rendado todo branco, imaculado, onde possa colocar entre frisos e babados a rosa vermelha orvalhada das lágrimas de outras mulheres que nunca foram felizes. Quem sabe assim eu pudesse resgatar-lhes a alegria.

Ah, neste dia que é das Marias de todo jeito e feitio, umas pobres, outras ricas, outras brancas de luar, outras tisnadas de ébano e aquelas orientais com seus olhinhos de amêndoa assim puxados para trás, não quero nem discursos nem palestras, nem queixumes, nem lamúrias, nem cantilenas, nem nada que seja falso mesmo que seja um poema.

Só quero meu alvo vestido, a minha rosa vermelha e quero descer a ladeira de outros séculos passados. Olhar nas brumas distantes, afastar véus e cortinas e me entrever sinhazinha na casa colonial de chão de tábuas corridas, de janelas de treliça por onde a rua espiasse e logo reconhecesse o trajeto tricotado com os novelos da história das mulheres brasileiras.

Na verdade muito espiei a partir daquele quadrado tão restrito e acanhado, mas do qual eu avistava um divertido planeta de onde um dia viria de maneira infalível e num cavalo montado o meu príncipe encantado, o namorado escolhido e por meus pais adotado.

Agora me vejo senhora. Tenho um senhor meu marido que me deram aos treze anos e me valeu sobrenome e muitos filhos bonitos que nem me deram trabalho porque Quitéria cuidou, deu seu leite, seu amor, enquanto eu ficava na rede me abanando de calor, engordando com os doces que me trazia Quitéria e pensando no domingo.

Domingo, que belo dia! É dia de sair, é dia do passeio esperado, de ver o mundo lá fora, o sol brilhando no espaço e me esquentando por dentro do espartilho apertado.  De ir à missa bem cedo, de ouvir no campanário a melodia dos sinos. E de me jogar de joelhos nos degraus do confessionário. Que coisa melhor é esta de poder contar meus mistérios ao bom Padre Eleotério? Nem tanto por meus pecados que não são tão graves, mas sim de desabafar, pois o senhor meu marido anda para lá de esquisito. Vira e mexe aparece com um novo afilhado. E esses meninos morenos que brincam com meus lourinhos pondo toda a casa-grande em tremendo burburinho de onde brotam meu padre? Que fazer com essa minha ingenuidade?  

“Faz nada não, minha filha. Isso é assunto de homem. Cuide de seus afazeres. Reze mais três rosários. Deus quis homem e mulher em destinos separados. O que o homem pode fazer nunca pense em repetir nem em seus sonhos sonhados, porque fazendo você Deus considera pecado”. 

Agora venho de volta nessa ladeira do tempo subindo por cada século, sempre com a rosa vermelha e meu vestido rendado que arrasta pelo chão seus bordados delicados. A paisagem mudou. Vejo fábricas, lojas escritórios, lugares a fervilhar onde posso trabalhar se assim tiver vontade e o marido deixar. Vou a festas e teatros, além, é claro, da Igreja, onde rezo para Maria nossa rainha e padroeira. E a ela pergunto em vão: “Por que, minha Mãe, por que, ainda não veio permissão para a mulher receber bem mais alta educação?” 

E a Santa a sorrir parecia me dizer: “Espera, minha filha, espera, que essas coisas hão de vir, mas nada vai lhe ser dado, é preciso conquistar, é necessário querer e sempre se paga um preço por aquilo a receber. Além do mais dobrará sua responsabilidade e muito cuidado com o que chamam de liberdade. Se dela não fizer bom uso, virá a liberalidade e isso jamais trouxe ao mundo a sonhada felicidade”. 

Eis-me agora retornada das ladeiras da vida ao ponto de minha partida. Reparo, então, em coisas que antes não reparava. Há diplomas conquistados no universo feminino. E quantas mulheres vejo em cargos dos mais elevados. Por todas as partes estão, pois muito se obteve com trabalho e educação. Conquista, é bem verdade, que fez redobrar tarefas entre a chefia da empresa e as lides do fogão.  

Outras dão continuidade apenas à tradição e ainda espiam o mundo das janelas de treliça. Esperam pelo domingo e o dia da procissão. Desconfiam do marido se ele chega atrasado.

E existem muitas daquelas que em nome da liberdade trazida por novos tempos, apenas se aviltaram e mais se coisificaram sem perceber as coitadas que liberdade é uma coisa que deve ser bem usada. 

Tampouco há liberdade no tolo palavreado cavado sobre o abismo do machismo e do feminismo. Nem na falta de cavalheirismo ou mesmo de romantismo tidos como obsoletos, mas cuja falta frustra, pois relações que se prezam vêm mesmo é do coração.

No dia 8 de março quero uma rosa vermelha, um vestido branco e rendado que arraste pelo chão um leque bem delicado, levemente perfumado, um amor e uma canção.



Maria Lucia Victor Barbosa



Arte Marilda Ternura

Um comentário:

Marise Ribeiro disse...

Aplausos a todos os Poetas que magistralmente entoaram hinos louvando a mulher! Meu carinho, Marise Ribeiro