30 de nov de 2009


DECEPÇÃO
© Ferdinando

Dias que esvoaçam sobre nuvens de ilusão
em desmedida dimensão do mundo que te agita
numa desumanidade, em sonhos feitos de arminho
onde a beleza te impele sob o fogo que me verga...
que me deixa cruzando o olhar no vazio da vida!

Flores de lume que se erguem no fugitivo do teu olhar
onde o aroma me queima de paixão em promessas
de sol, vida que me emudece, e olhar que me acalora
tenta em marmóreos gestos de margens fechadas, enfeitar
o meu sonho em anseio que se enleia como trepadeira
em minha alma frágil, numa chama de outros desejos...

Ofertas-me o rosado dos teu lábios, num brotar de paixão nas
caladas horas da noite, quando o sol desmaia na paisagem
em horas avançadas suprimindo verdades, deixando os sonhos
que aquecem a volúpia que queima a cinza dos dias!...
Nunca quero ser amante nem amado em teu fascino...
mera vertigem sem freios, fútil loucura cheia de nadas.

Alemanha 23.03.07

Um comentário:

Anônimo disse...

Poeta, todas suas poesias são merecedoras de muitos aplausos, sou sua fã de carteirinha! Beijus Anna Peralva