terça-feira, 6 de abril de 2010


De volta à vida
Maria Luiza Bonini


Se eu pudesse, seguraria a tua mão na minha,
e entrelaçadas, ternamente, te levaria a ver novos caminhos,
onde eu pudesse te demover desta dor que óra sentes

E, assim, caminhando juntos,
percorreriamos uma linda estrada, cercada de beleza,
destas que nos oferece a natureza...
com muitas flôres, muitos pássaros,
cortada por um pequeno e lindo regato

Eu faria com que você respirasse vida,
e, assim, pudesse sair deste mormaço
que te sufóca, exalando odor de fim

Eu te levaria até à margem
de um rio imaginário
onde um barquinho, à nossa espera,
nos levaria até à outra margem

E aí, eu te explicaria que, ao partirmos ,
deixamos os que amamos muito tristes,
porém existem outros, que tambem nos amam,
aguardando, felizes, na outra margem.

É a vida procurando vida
É a força do amor sobrepujando à dor.
É a resposta à pergunta infinita
É o grande lenitivo para inconformável desdita.

Eu te traria de volta para a vida
Onde, na margem do rio onde embarcamos
Nos esperariam, ansiosos, aqueles que deixamos,
Na busca de respostas para o imponderável

E, a resposta estaria aqui,
No lugar de onde saimos
Na alegria dos que nos aguardariam
Para o tão amável e esperado reencontro

Então, eu estaria feliz
Por sentir que tu voltavas à vida
Que silenciosa e paciente,
permaneceu sincera, à tua espera



Um comentário:

Anônimo disse...

Showwwwwwwwwwwww!!!! Às vezes precisamos de uma mão amiga para sair do silêncio interior e redescobrir a luz radiante da vida... Belo! Beijusss Anna Peralva