quinta-feira, 22 de abril de 2010


TOCHA ARDENTE DE UMA PAIXÃO
Rogério Miranda


Madrugada fria e solitária
tempestade de pensamentos
onde a saudade encontra
um abrigo na ilusão
que se refugiou
na solidão do poeta...

Para raios de magoas
de um coração partido
com a ida sem volta
de um amor que levou
a tocha ardente de uma paixão,

Noite de silencio profundo
que faz a alma chorar,
separando o tempo
dissolvido no amanhecer
sem o sol do calor de seu amor...

poeta da paz

Um comentário:

Anônimo disse...

Ah meu poeta da paz, lindo!!! O amor vai separando o tempo entre saudades e solidão e é neste silêncio da alma que o poeta traça as mais lindas poesias... Beijus Anna Peralva