9 de abr de 2010





Quem dera!
Marilda Conceição


Ah! Poeta!
Quem dera fosse eu a tua amada.
Quem dera fosse eu
a mulher dos sonhos teus.
A tua eterna namorada.

Acolher-te-ia nos meus braços.
e, num terno abraço,
Envolver-te-ia com candura,
entregando-me de corpo e alma,
na mais doce ternura.

Doar-te-ia meu amor,
e te amaria na mais ardente e intensa paixão,
plena e infinitamente,
com toda emoção.

Ah! Poeta amado meu!
Quem dera fosse eu
a musa dos versos teus.

RJ, 24/09/2003

2 comentários:

Anônimo disse...

Ah poeta, que maravilha!!! Doce entrega de um amor ardente que não cabe no peito e precisa fluir toda a emoção em versos, parabéns!!! Beijuss Anna Peralva

Anônimo disse...

Os sentimentos brotam poesias e esta é linda demais!!!!Parabéns! BeijoKas...Eliana