sexta-feira, 23 de abril de 2010



Sublime Poesia
Rose Arouck


Sublime poesia!
Majestosa mãe dos desalentos.
Fulguras como a prosa
meditada e dita aos ventos,
ou em rimas das palavras,
gravadas e eternizadas
pelas cópulas dos talentos.
Vestal rosada em matizes de candura,
caminhas introspécta,
e persistes,
embelezando a vida
de solitárias criaturas;
tornando-as risonha
mesmo quando tristes.
Apontas com bisonhas
e encorpadas tintas,
o caminho do amor que ainda existe,
fortalecendo as almas
que fraquejam quase extintas,
submersas na angústia que insiste,
para alcançar o sol
do céu que em ti resiste.
Poesia ave liberta!
Pousada em todos os poetas
que erguem as mãos quando
o verbo se dissolve,
transformado em
frases que ao mundo inteiro comove.
Viestes dizer da alma a alegoria
deitastes plena no berço da euforia,
morrendo um pouco
pela dor da heresia,
com a morte do amor de cada dia.

Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns Rose@, simplesmente sublime! Beijus Anna Peralva