29 de abr de 2010


Labirintos de mim

Tania Renato (She)


ah! labirintos de mim...
nos quais caminho só,
nos quais há sendas e veredas tantas
que me procuro em cantos
sem saber por onde estou.
ah! labirintos de mim...
tão intrincados
que quando penso encontrar
logo me perco,
que quando penso que cheguei
já estou saindo,
que quando penso que é porto
é despedida.

ah! sim...
labirintos de mim
por onde me perco
e me procuro
morada perene do meu ser perplexo,
angústia infinda do meu ser aflito.
Tania Renato

Um comentário:

Anônimo disse...

Labirintos??? Quem não se perdeu um dia num deles??? Labiritos da alma sempre em busca do amor e da felicidade... Um dia a gente encontra a saída, Parabéns, belo poema! Beijus Anna Peralva