sexta-feira, 18 de dezembro de 2009


DELÍRIOS DE UMA PAIXÃO
Neide de Oliveira (Cigana)


Se eu pudesse mergulhar no verde do teu olhar,
Invadir o teu ser e chegar ao infinito de nós dois...
Se eu pudesse te encontrar neste meu abandono,
Te fazer sorrir e te dar todo o carinho que guardei pra ti.

Por tanto tempo te procurei pra te amar,
Te encontrei e te amei...
De uma maneira tão linda; tão minha ,
Que ninguém jamais te amará como eu.

Noite passada te amei em sonhos,
Me entreguei a teus desejos
E na loucura desta paixão pude sentir
O calor do teu corpo, o sabor dos teus beijos...

Mas ingrata foi a noite que se foi
E trouxe com ela o amanhecer
Despertei e a saudade foi tão grande
Como eu queria te ter!

Por alguns momentos
Me senti amada como antes,
Alucinações de uma divina amante
Que só quer saciar esta sede de você

Vem...
Mata o meu desejo
A vontade dos teus beijos
A saudade do teu corpo
Quero marcas de amor nos lençóis

Vem ...
Tira da minha vida essa vontade de você
Deixe que eu te faça o mais feliz dos mortais
Transforme nossas vidas no mais belo amanhecer.
E não me deixes nunca mais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Cigana, cigana, olhos verdes são como a imensidão do mar em seus segredos profundos e no sono sempre temos delírios de uma louca paixão... Meus aplausos! Beijus Anna Peralva