15 de dez de 2009


LÁGRIMA
MARIA LUCIA VICTOR

Sente,
apenas sente
essa lágrima quente,
semente de solidão,
gota de saudade.
Sente
esse meu sentir
nessa soledade
e diz o que sentes
na distância
que essa lágrima invade.
Sente
porque não falo,
apenas choro,
e sentirás que o amor
pode ser o que se sente
numa lágrima
que deságua de repente.


3 comentários:

Rosângela disse...

Gente.
Eu não consegui, ainda, ler todos os poemas postados.
É muita correria, aff!
Deixo o meu abraço e a promessa de voltar com bastante calma.

Anônimo disse...

Belo querida!A lágrima é sempre um parto da solidão onde a saudade é parida, doída...Beijus Anna Peralva

Anônimo disse...

sem duvida lindo! deixo aki o meu
http://ba-black-rose.blogspot.com
:)