17 de dez de 2009



Prece ao Tempo
Marise Ribeiro

Tempo que marca o rosto,
que faz cerrar os olhos;
tempo que não seca o desgosto
no lenço que sempre molho.

Todos dizem: "o tempo cura,
a ferida fecha, cicatriza..."
Mas a minha doída loucura,
será que o tempo ameniza?

O que és tu, tempo,
senão um correr de horas?
Torna-se eternidade um momento,
quando a dor não vai embora.

Ah! tempo, lutas sempre comigo!
Por que não entendes o que preciso?
Deixa de te fazer inimigo
para que me retorne à face o sorriso.

Estanca os minutos, pára o mundo,
põe o pulsar do coração em suspenso,
dá-me pelo menos um segundo,
para qu'eu seque meu lenço.

02/01/06







Um comentário:

Anônimo disse...

Parabéns grande poeta! Bela prece, que o tempo te dê o tempo que precisa para o renascer do sorriso! Beijus Anna Peralva