1 de dez de 2009



SONHO DE UMA NOITE DE VERÃO
Guida Linhares


Noite comprida como o lamento triste
que corta a alma em dois pedaços.
Gotículas de suor percorrem o corpo,
e o sono arredio, tarda a chegar.

Qual bailarina dançando entre os lençóis,
ávida pelo suave abraço de Morfeu,
a insone hora percorre angustiante,
até que o cansaço cede lugar ao adormecer.

Na janela do sonho, um árido deserto
em que passos incertos avançam,
em busca de alguém ou algo que dê sentido,
à malograda existência solitária.

A príncipio passos lentos, que aceleram
até tornar-se uma desenfreada corrida,
em direção a algo brilhante no chão árido.
O que será encontrado? Qual seu significado?

Chegando bem perto, uma rosa branca
se abrindo esplendorosa, desabotoando-se,
oferecendo seu explendor ao olhar ávido do sentir
que a vida, pode ser tudo aquilo o que se deseja.

Contemplação plena, olhos extasiados de beleza
fazem despertar o ser interno, que acorda
antes que o amanhecer chegue e de um pulo,
salte da cama e abra as janelas do quarto e da alma.

A visão da rosa branca acompanha o ritual
em que o novo ser desabrochado sente que é hora
de renascer para a vida, reconquistando a felicidade
de sentir-se pleno de Deus, pronto a abraçar novos sonhos.

Santos/SP
09/07/07

Um comentário:

Anônimo disse...

Belo Guida! Todo dia nasce um novo dia e com ele renascem a alegria de viver e semear novos sonhos. Beijus Anna Peralva