22 de dez de 2009


Um Dia de Sol


Quando o sol surge, prenunciando a manhã,
traz a partitura composta durante a noite
para a orquestra do dia e da natureza cantar.
Na esperança que o hoje
seja uma romântica canção.
Onde as flores recebem o carinho delicado das borboletas,
que pousam suavemente em suas pétalas .
Então o sol irá se recordar do eclipse
que até as estrelas se enciumaram.
O Sol encontrou na Lua a fonte de sua inspiração
e cada vez que a procura e não a encontra,
na noite são as estrelas
que transmitem a ele notas musicais para sua canção.
Neste dia o brilho ficou mais forte.
E uma flor...
...e uma borboleta se encontraram em carinhos.
Assim o Sol,
no crepúsculo entregou toda a harmonia e encanto da natureza para a Lua,
que chegaria em seu reinado de Deusa.
Ainda numa réstia de brilho,
ele pode contemplá-la à distância
e fortificar ainda mais o seu amor.
Carinhosamente

Ruben Alves Vieira

Um comentário:

Anônimo disse...

Sol, Lua, borboletas, flores, estrelas, só poderia dar este encanto de poesia, parabéns! Beijus Anna Peralva